Como viajar com animal de estimação para um destino internacional

Você está planejando a sua viagem internacional dos sonhos, mas não consegue imaginar ficar longe do seu animal de estimação? Nem sempre deixá-lo em um hotel para pets ou com um cuidador é uma opção e, muitas vezes, é difícil suportar a saudade do cão ou do gato. É por isso que muitos decidem levá-los em suas aventuras para o exterior.

Ao tomar essa decisão, o dono do pet deve estar ciente que precisa de tempo para organizar toda a documentação e dinheiro com os gastos que virão.

Abaixo, preparamos um passo a passo do que geralmente é preciso ser feito. Mas esteja atento, pois as regras podem mudar conforme o destino. Por isso, busque informações oficiais fornecidas pelas autoridades ou embaixadas do país para onde pretende viajar.

 

1 – Implante um Microchip no seu pet

Se o seu cachorro ou gato ainda não tem um michochip subcutâneo, o primeiro passo é levá-lo até uma clínica veterinária de confiança para fazer a implantação. Esse chip conterá as informações do animal e será a identificação dele. É importante que esse chip atenda ao padrão internacional (normas do ISO 11784/11785), garantindo que ele poderá ser lido em qualquer país.

 

2 – Faça a vacinação contra a raiva

Estar com a carteirinha de vacinação em dia, inclusive com a vacinação anual antirrábica, é uma das exigências para viajar com o pet. Mas fique atento, pois para alguns países é uma exigência aplicar a vacina contra raiva após a implantação do chip.

 

3 – Faça o teste de sorologia de proteção contra raiva

Trinta dias após a aplicação da vacina antirrábica você deve fazer a coleta de sangue com um veterinário de confiança para realizar o teste de sorologia, o qual mede a proteção do animal contra a raiva.

O próprio veterinário enviará a coleta para um laboratório, que emitirá o Laudo de Sorologia Antirrábica. Esse laudo é válido para sempre (você não precisa fazer um novo para as próximas viagens), desde que você vacine anualmente o seu animal contra a raiva.

Fique atendo para um detalhe: a coleta deve ser enviada para um laboratório que seja credenciado e reconhecido pelo país que você irá viajar. Se você vai para algum país na União Europeia, por exemplo, o único laboratório autorizado a emitir esse laudo é o Centro de Controle de Zoonoses de São Paulo.

 

4 – Tire o CZI (Certificado Zoosanitário Internacional) para o seu pet

Após 90 dias (período de quarentena) da coleta de sangue para a emissão do Laudo de Sorologia Antirrábica, você deverá ir até a Vigiagro (Sistema de Vigilância Agropecuária Internacional), responsável pelo transporte aéreo internacional de animais.

Fique atendo, pois o período de quarentena pode variar conforme o país de destino. Para a Irlanda e Japão, por exemplo, o tempo exigido é de seis meses.

A Vigiagro pertence ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Lá, com agendamento marcado, eles irão emitir gratuitamente o CZI para o seu gato/cachorro que comprova que ele atende a todas as exigências sanitárias do país de destino. Sem ele, o seu animal não viaja!

O CZI demora, em média, 48 horas para ser entregue e tem validade de oito dias, a qual pode ser estendida. Isso quer dizer que, após a emissão do CZI, você tem o prazo de até no máximo 10 dias para viajar (48 horas para emissão + 8 dias de validade). Para agendar uma entrevista, entre em contato com a DDA (Divisão de Defesa Agropecuária) mais próxima de você.

Anote a documentação que você deverá ter em mãos para a emissão do CZI:

Nesse documento fornecido pelo Ministério da Agricultura, você pode ler quais são as exigências gerais e mais detalhes da documentação necessária (que acabamos de citar acima) para emitir o CZI.

No lugar do CZI, você pode obter um passaporte de cães e gatos, mas tenha certeza que ele é aceito pelo país de destino. Clique aqui e saiba mais.

 

5 – Compre as passagens e reserve um lugar para o seu animal no avião

Em paralelo ao período de quarentena e até que você possa emitir o CZI para o seu pet, você poderá comprar as passagens de avião.

Ao comprar as suas passagens, preste atenção no período necessário até que consiga reunir toda a documentação necessária para viajar com o seu animal. Também se lembre do prazo de validade do CZI (oito dias). Coloque essas datas no papel para não se perder:

  • Aplique a vacina contra a raiva;
  • Aguarde 30 dias e então faça a coleta para o exame de sangue e emissão do Laudo de Sorologia Antirrábica;
  • Aguarde o período de quarentena e leve o pet ao veterinário para tirar um atestado de boa saúde;
  • Em no máximo 72 horas emita o CZI do seu pet; e
  • Em no máximo 10 dias pegue o voo.

Ao escolher a companhia aérea, busque saber quais são as regras e como funciona o transporte de animais por essa empresa, se é na cabine ou no porão. Lembre-se de pesquisar na internet por relatos e experiências de outras pessoas que já viajaram com seus pets.

Antes de finalizar a compra, reserve um lugar para o seu pet na aeronave. Você pagará uma taxa para levar o seu pet junto com você. Geralmente, o valor é fixo e não representa uma passagem de adulto inteira.

Fique atento, pois as companhias aéreas têm um número limite de animais por voo.

6 – Compre o transporte animal exigido pela empresa

Compre uma caixa de transporte ou bag que proporcione conforto e proteção para o seu pet e que atenda às normas da companhia aérea na qual você irá viajar. Essas regras você pode conferir no próprio site da empresa ou ligando para o atendimento ao consumidor.

Por exemplo: se o seu pet for viajar no porão (o que vai depender do tamanho dele e das opções oferecidas pela companhia aérea), você deverá providenciar uma caixa de transporte firme, muito segura (com travas confiáveis) e confortável. O pet precisará conseguir ficar em pé normalmente e dar uma volta completa no próprio corpo.

 

7 – Leve toda a documentação do seu pet junto com você

No embarque e desembarque, você precisará apresentar os documentos exigidos para a emissão do CZI. Caso falte alguma documentação, o seu cachorro ou gato pode ser devolvido ao país de origem.

Ao final da viagem, no embarque para retornar ao país, será necessário que você emita um novo CZI no país em que estiver. O CZl deve ser então legalizado por uma Representação Consular brasileira para ser reconhecido aqui no Brasil. Caso o país de destino faça parte dos países do Mercosul e o CZI tenha menos de 60 dias de emissão, não será necessário fazer um novo.

Lembre-se que essas documentações e exigências variam de país para país. Por isso, fique atento às regras do seu destino escolhido e planeje tudo com antecedência, garantindo que você terá tempo suficiente para atender a todas as exigências.

Ainda está com dúvidas? Confira no site do Ministério da Agricultura quais são as perguntas e respostas frequentes sobre viagens internacionais com cães e gatos.

Para garantir o conforto e a tranquilidade em outro país, não se esqueça de contratar o seguro viagem para você e a sua família. Ele é indispensável!

Boa viagem para você e para os seus pets! Aproveitem cada momento de alegria e diversão.

Fonte: Pequenos Monstros e Ministério da Agricultura